Precisa de ajuda ?

Ervas medicinais: saiba o que são, tipos e suas propriedades

ervas medicinais
Carregando... 662 visualização(s)

Ervas medicinais: saiba o que são, tipos e suas propriedades

ervas medicinais

Por muito tempo, a humanidade não tinha à sua disposição a ciência avançada para produção de remédios e produtos que ajudassem em procedimentos de saúde. Então, as pessoas recorriam a plantas e ao que a natureza tinha para oferecer. Daí vem o estudo das ervas medicinais

Mesmo depois que a ciência se estabeleceu, as ervas continuaram proeminentes, ainda que com um protagonismo diferente. Agora, elas complementam e ajudam, sem substituir medicamentos. Oferecem um auxílio que pode ser útil em tratamentos, desde que com o apoio e aval de especialistas.

O interesse pelas plantas continuou alto na medida em que as pessoas voltaram a perceber seu potencial para diversos tipos de tratamento. Surgiram então áreas de interesse e estudo, como a aromaterapia e a fitoterapia, que estão ligadas às formas de extração das ervas.

Como você já percebeu, esse assunto é extenso e requer muita atenção. Neste conteúdo, vamos dedicar alguns tópicos para explicar tudo isso. Acompanhe. 

O que são ervas medicinais?

Ervas medicinais são plantas que possuem propriedades curativas e terapêuticas, úteis para tratamentos de saúde. Essas propriedades geralmente provêm das características naturais da planta, desenvolvidas para proteger a si mesmas de ameaças no meio ambiente.

A partir de uma extração e de um modo de consumo, o ser humano consegue aproveitar um pouco desses benefícios para ajudar em diversas demandas de saúde, desde alívio de dores a questões psicológicas.

o que são ervas medicinais


As plantas medicinais são, portanto, poderosas ferramentas para ajudar em certas situações. Permitem flexibilizar as formas de tratar e facilitar para o usuário, a partir de uma adaptação rápida na rotina.

Duas áreas importantes são ramificações desse conceito: a aromaterapia e a fitoterapia. 

A aromaterapia é uma área dedicada a estudar os efeitos de óleos essenciais, produtos que captam o aroma das plantas medicinais para induzir efeitos positivos, disposição, prevenção de problemas típicos, etc. 

Por sua vez, a fitoterapia é um campo que estuda como criar produtos com base nas plantas para buscar seus elementos essenciais. 

A diferença de um produto fitoterápico para uma planta é justamente a etapa de produção, que garante cuidado com protocolos e políticas para assegurar o máximo de segurança.

É evidente que as plantas também apresentam esse cuidado, mas o foco da fitoterapia está em criar produtos prontos. Ao passo que as ervas medicinais podem ser consumidas de outras formas.

Por exemplo, uma planta pode virar um chá, que é uma forma muito simples de extrair seus benefícios, a partir da fervura. Não há qualquer metodologia industrial envolvida, o que permite que qualquer pessoa consiga fazer.

Da mesma forma, a planta pode ser usada em compressas ou diluídas, bem como misturadas com outras bebidas.

Os produtos da fitoterapia são mais padronizados, de acordo com aquele modelo de produção específico (que depende da planta e de quem produz). 

Mesmo que vejamos as mesmas plantas sendo usadas como exemplos para as três áreas, temos que atentar para estas diferenças-chave: as formas de produção e preparação. 

Para que servem as ervas medicinais?

As plantas medicinais podem ser úteis para diversos tipos de tratamento e estratégias. Inclusive, grande parte do esforço de quem pesquisa e tenta estudar as plantas é entender como elas se encaixam nas distintas categorias, por conta dos efeitos que provocam.

Ou seja, assim se consegue assimilar quais plantas são mais eficazes para quais propósitos e se direciona o uso.

Alguns objetivos clássicos para o uso de ervas medicinais são:

  • combate à ansiedade;
  • tratamento de insônia;
  • tratamento de asma;
  • efeito anti-inflamatório;
  • regeneração das células;
  • redução da oxidação.

Ou seja, temos diversos benefícios (que exploraremos melhor em um dos tópicos no final deste conteúdo). 

E isso é até parte do senso comum, algo que todos compartilham um conhecimento sobre. Por exemplo, a camomila é uma planta conhecida por seu efeito calmante e relaxante. Assim, pode ser crucial para combater estresse e ansiedade.

Ou seja, as plantas não estão tão distantes das pessoas. Na verdade, seu uso para o que já citamos e para outros fins é bem disseminado, boca a boca, de forma cultural. Isso facilita a absorção em vários locais. 

Com o tempo, principalmente ao longo do desenvolvimento científico, vários acadêmicos começaram a se interessar e estudar o tema também. Então, comprovaram os benefícios para tratamentos mais avançados, como ajuda na hemodiálise. 

para que servem as ervas medicinais

É preciso cuidado, é claro, para que o tratamento seja feito sempre com o aval de especialistas. No entanto, para quem lê sobre isso, é sempre interessante saber sobre o potencial de cada uma das ervas medicinais e suas funções. 

Caso a pessoa tenha um interesse específico em alguma aplicação, deve se perguntar sobre qual planta se encaixa. Por exemplo: quais são as ervas medicinais para inflamação? Como resposta, temos a Symphytum officinale como uma boa opção. 

Bons para ajudar em inflamações são os flavonoides, que comentaremos no tópico a seguir.

Quais são os tipos de ervas medicinais?

Temos alguns tipos que merecem destaque: alcaloides, mucilagens, flavonoides e taninos.

Os alcaloides têm elementos com caráter básico (diferente de ácido ou neutro) e podem ajudar como um relaxante ou como uma solução para dores. As mucilagens podem ser laxativas e cicatrizantes.

Os já citados flavonoides são bem interessantes. Podem ser anti-inflamatórios, antioxidantes, antitumorais, bem como outros. Nas plantas, agem como proteção contra fungos e insetos.

Taninos podem ser adstringentes e antimicrobianos. 

Conheça alguns exemplos de ervas medicinais e suas propriedades

Vamos aprofundar sobre alguns tipos de ervas medicinais e suas características positivas. 

Unha de Gato (Uncaria tomentosa)

Também chamada de Uncaria tomentosa, a planta Unha de Gato é muito versátil e útil para diversos tipos de tratamento. Podemos mencionar seu potencial anti-inflamatório, antiviral, diurético, imunomodulatório, antioxidante, antimutagênico, bem como outros.

Levedura de Cerveja (Saccharomyces cerevisae Meyen)

O termo Levedura de Cerveja é o nome de mercado para Saccharomyces cerevisiae Meyen. É usada como complemento alimentar para pessoas que praticam atividades de alta performance e precisam repor elementos indispensáveis. 

Ajuda a desintoxicar o organismo, atua contra as hemorróidas e também pode ser crucial contra prisão de ventre. 

Lúpulo - (Humulus lupulus L.)

Aqui temos uma planta muito útil contra ansiedade, taquicardia e distúrbios que atrapalham o bom sono. Pode ser bom contra dores também — de ouvido, de cabeça ou de estômago. Ajuda também a combater diarreia e a gerenciar cólicas menstruais. 

Sucupira - Sementes (Bowdichia spp)

A planta é oriunda das regiões próximas a Belo Horizonte. Pode ajudar na prevenção e no combate a artrites, artroses, gastrite, vermes, diabetes, dermatoses, etc. Também ajuda a tratar asma, úlceras, sífilis e hemorragias. 

Outro potencial uso interessante é contra o câncer e contra inflamações no ovário e no útero. 

Salvia officinalis

Essa planta é muito indicada para mulheres, pois ajuda no ciclo menstrual e em questões de menopausa. Ajuda, por exemplo, a controlar as cólicas e os efeitos dos hormônios na menopausa em pessoas mais velhas. 

Ginkgo Biloba

Atua contra o envelhecimento celular, na melhoria da circulação, no combate a cansaços, artrite, perda de memória e outros. Ou seja, é muito útil para pessoas com uma idade mais avançada, ajudando a manter o corpo em equilíbrio e controlando os efeitos do envelhecimento. 

Cálamo - (Acorus calamus) 

O Cálamo (Acorus calamus) apresenta diversas propriedades distintas e interessantes. Pode ser um estimulante, atuar como rejuvenescedor, combater dores, bem como aumentar a memória. 

Malva Branca (Sida cordifolia)

A Malva Branca também é útil para vários fins. Pode contribuir com combate à infecção urinária, dor de garganta, ansiedade, etc. É antioxidante e analgésico. Além disso, ajuda a melhorar a saúde sexual e pode reduzir açúcar no sangue e frequência cardíaca. 

Boldo (Peumus boldus Molina)

O famoso Boldo tem um efeito já conhecido para ajudar a digestão, facilitar o bom desempenho do fígado, bem como ajudar a lidar com comidas mais pesadas. O boldo também pode ser uma planta para efeito calmante e relaxante, desde que o preparo envolva alguma técnica propícia, como a imersão. 

Erva-doce (Pimpinella anisum)

Também é ideal para ajudar na digestão e para cuidar da saúde do estômago. Alivia dores e evita grandes problemas depois de alguma comida pesada. Pode ser um calmante também, justamente por ajudar nessa questão do desempenho na hora de processar a alimentação. 

Gengibre (Zingiber officinale)

O Gengibre tem um conhecido efeito anti-inflamatório e pode ser útil para gerenciar dores incômodas. 

Quais os benefícios do uso de ervas medicinais?

Vejamos, agora, alguns benefícios do uso de plantas e ervas medicinais. Apresentaremos alguns que já foram citados, só que com maiores detalhes para aprofundamento. 

Combate ao estresse, ansiedade e pressão alta

Como já falamos, as ervas e suas propriedades ajudam a gerar uma sensação de calmaria, tranquilidade para prevenção de taquicardia, estresse e ansiedade. Assim, podem inclusive ser ótimas para tratar o sono e proporcionar ótimas noites de descanso.

As plantas ajudam a controlar os batimentos e as atividades corporais, de modo a permitir que as pessoas descansem quando precisam de um repouso.

Inclusive, podemos mencionar, também, de forma relacionada, o controle da pressão sanguínea e o combate a hipertensão. 

Combate a diabetes

Outras doenças como o diabetes também podem ser tratadas com o auxílio de plantas e ervas medicinais. As ervas ajudam na produção de insulina e no melhor controle da glicose, de modo a restabelecer o equilíbrio necessário no corpo humano. 

Prevenção de infecção urinária

Temos também ervas que funcionam bem como diuréticos para auxiliar no caso de crises de infecção urinária e seus desconfortos. Permitem eliminar a urina e as bactérias que se acumulam na urina, de maneira a tornar o funcionamento do sistema responsável mais saudável.

Emagrecimento

Também há indícios que alguns tipos de ervas medicinais podem atuar contra a gordura excessiva no corpo e a favor do emagrecimento. Dessa forma, podem ajudar a emagrecer, para que se chegue a uma condição saudável e estável do corpo. 

Estimulante

Por outro lado, as plantas medicinais também podem agir como estimulante, oferecendo energia antes de um dia de trabalho exigente, por exemplo. A depender do tipo de erva, é possível obter um aumento na atividade do corpo para lidar com as exigências de uma rotina. 

Desenvolvimento cognitivo, memória e concentração

Outro efeito muito interessante de comentar é a aplicação para melhorias no desenvolvimento cognitivo, na memória e na concentração. Assim, as ervas ajudam bastante os estudantes e pessoas que precisam aprender e lembrar de assuntos. 

 

Pode facilitar a compreensão de conteúdos e permitir que quem use não tenha problemas para aprender e focar em algo que estiver fazendo. Ou seja, melhora a atenção e, consequentemente, o desempenho em tarefas de estudo e de trabalho também. 

Como reconhecer e utilizar ervas medicinais?

As ervas podem ser adquiridas em forma de pó ou em folhas e podem ser preparadas de diferentes maneiras. Já até citamos o uso como chá e como infusão, que se caracterizam pela fervura e pelo uso de líquidos como auxiliares. 

Contudo, também há a possibilidade de preparo dos líquidos para imersão, banhos e para aplicação direta na pele.

No caso de plantas de óleos essenciais, temos diversas técnicas que ajudam no uso. 

Uma delas são os difusores, que despejam aromas agradáveis no ar e incendeiam o ambiente para desencadear uma ótima sensação de calmaria e de bem-estar, de acordo com a planta em questão.

Há também o uso de colares, que permitem que as pessoas carreguem os aromas para onde forem, no pescoço. 

Onde comprar ervas medicinais?

Ervas medicinais devem ser compradas com cuidado. É preciso atenção com relação à forma de conservação, à validade e ao tipo de planta.

Por isso, é imprescindível buscar em locais confiáveis, que tenham uma boa reputação. O site Natureza Divina é uma boa referência quando falamos nisso. 

Temos diversos tipos de plantas para propósitos distintos. Vale a pena dar uma olhada.

Conheça os vários tipos de ervas medicinais que oferecemos e entenda suas propriedades e benefícios!

Conclusão

As ervas medicinais e suas funções constituem um campo amplo de conhecimento e estudos. Podem ser cruciais para tratamentos de dores, de ansiedade, de insônia, bem como tratamentos de tumores e oxidação de células. 

Cada erva se encaixa em um determinado propósito, de acordo com suas características. Essas propriedades advêm de elementos que ajudam as plantas a se proteger na natureza, contra insetos e outras ameaças.

Vimos, também, a relação das plantas com a aromaterapia e a fitoterapia e entendemos as diferenças principais. 

 

Previous article:
Next article:
Comentários
Deixe seu comentário
Seu endereço de e-mail não será publicado